Artigos, Estresse Pós-Traumático, Síndrome do Pânico

Todo ato de violência causa mudança comportamental: estresse pós-traumático

Da mesma forma que o indivíduo pode guardar detalhes de outro em suas lembranças, o mesmo pode deixar de lado ou mesmo tentar apagar uma recordação. Em psicologia, no entanto, verifica-se que a lembrança emocional, se impactante, ficará grifada no inconsciente deste, podendo prejudicar o seu dia a dia. Sendo assim, não bastaria apenas ignorar ou colocá-las na ‘gaveta’, mas dissolve-las por completo. No estresse pós-traumático, acontece algo muito parecido.

Ainda que a experiência traumática seja diferente para cada pessoa, um padrão comum é quando o indivíduo, ao lembrar-se de algum mau trato ou violência dirigida a si, visualizar como algo bem distante, num filme, algo quase irreal, como se estivesse sonhado ou anestesiado sobre aquela ‘estória’. Mesmo assim, os sintomas característicos do transtorno de estresse pós-traumático são visíveis aos olhos de especialistas e, não raro, pelas pessoas próximas, embora muitas delas não saibam as razões. Por outro lado, para outras pessoas dor e desespero são intensos quando recordados do tema que lhes trouxe o trauma, que preferem ‘nem falar sobre isso’. As situações são as mais diversas, indo desde maus tratos e abuso sexual, até um episódio esporádico como um assalto violento.

De toda forma, sabe-se que qualquer ato de violência tende a desencadear algum tipo de mudança de comportamento e, quando interfere na rotina de alguém, pode ser a hora de analisar, dissolver e liberar essa carga emocional.


Saiba mais sobre o transtorno de estresse pós-traumático.